Construtoras gaúchas terminam o ano com otimismo e confiança

Um dos poucos setores a se manter aquecido durante a pandemia, a construção civil empilha motivos para comemorar em um ano de reafirmação do setor. Os bons retornos em investimento imobiliário, novas demandas de consumidores e os juros e taxas facilitadas ao longo do ano estão entre os principais motivos para os resultados gerais observados pelo segmento. 

No embalo desta maré, a Construarte, construtora gaúcha que está entre as 40 maiores do Brasil, também comemora o desempenho em 2020. Com sede em Igrejinha, no Vale do Paranhana, a empresa atua em todo o Rio Grande do Sul e ao longo do ano trabalhou na construção de 30 obras em 14 cidades e projetos de áreas distintas como hotelaria, residencial, industrial, educacional e de saúde.

Antes mesmo de entrar em dezembro, a construtora já tinha alcançado o mesmo faturamento de 2019 e deve crescer ainda 15% até o final do ano

“Nossa expectativa era crescer 40% este ano. Com o cenário atípico que vivemos praticamente todo o ano, é gratificante e recompensador observar esse desempenho, mesmo com todos os desafios impostos em 2020, certamente os maiores que já vivemos ao longo dos 50 anos da empresa”, destaca o engenheiro Leandro Kunst, diretor da empresa. 

Em 2021, ano do cinquentenário, o objetivo é atingir a meta de 15% de crescimento. Segundo avaliação do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS), o mercado segue em alta e o cenário já é visto como semelhante ao de antes da pandemia.

img